Como Aprender a Programar?

Já encontrei esta mesma pergunta e suas derivadas em sites, fóruns e pessoalmente. E, já adianto, existem várias maneiras de se aprender a programar. Por isso a resposta para esta pergunta é, no mínimo, pessoal.

Mas, independente do fator pessoal, existem maneiras melhores e piores de se aprender a programar. E o risco de escolher um caminho não tão bom é você encontrar algumas dificuldades que nem deveriam existir logo de início. Dificuldades que podem alongar um caminho que poderia ser mais curto, ou pior, dificuldades que podem fazer um candidato a programador, desistir antes da hora. Dificuldades que poderiam fazer alguém desistir de uma área da qual se poderia até gostar, se tivesse sido apresentada de outra forma.

Indicarei em seguida o que, pela minha experiência, é uma boa maneira de se aprender programação. E, é claro, estes serão os princípios que nortearão as postagens e páginas deste blog.

Conceitos são mais importantes que os detalhes

A primeira linguagem de programação deve seguir esta lógica: deve ser econômica e simples em conceitos.

Estou aqui com um livro introdutório de programação utilizando o PHP. Ele se propõe a ensinar programação mostrando o funcionamento de estruturas lógicas como whiles, fors e ifs utilizando fluxogramas. Mas assim como uma parte considerável de outros livros que esperam ser introdutórios ele toma a estranha decisão de colocar em seus capítulos iniciais uma tabela contendo os tipos de variáveis e seus respectivos limites. Muitos livros fazem o mesmo, e eu acho estranho.

Quando o foco é o aprendizado de programação, sou da opinião de que o aluno deve ser ‘protegido’ dos detalhes específicos de uma ou outra linguagem e ficar com o que realmente importa que é a lógica de programação. Linguagens de programação são meras ferramentas. Mudando-se o projeto ou objetivo, muda-se a ferramenta mais indicada para o caso. E o projeto ‘aprendizado de programação’ tem suas próprias necessidades que não, necessariamente são consoantes com as necessidades de um grande projeto.

A escolha da primeira Linguagem

Mais importante que ensinar ao aluno uma linguagem específica, é capacitá-lo a aprender novas linguagens.

Unida à pergunta de ‘Como Aprender Programação’ vem a pergunta:-Qual a melhor linguagem para se aprender a programar?. Em resposta a esta pergunta é comum as pessoas sugerirem as suas linguagens favoritas ou ainda guiarem suas respostas pelo mercado de trabalho ou pelas linguagens mais utilizadas na atualidade. Bem, atualmente minhas favoritas tem sido Java e PHP. Também já programei muito em C. E estas três tem grande aceitação no mercado de trabalho e estão entre as 5 linguagens mais utilizadas no mundo. Mas não indicaria nenhuma delas para um candidato a programador iniciante.

Dois requisitos que uma boa linguagem introdutória deveria atender:

Quanto mais simples melhor – Isto já foi falado, mas não custa repetir. Deve ser retirado da frente do aluno detalhes e particularidades que não ajudam ao aprendizado. Haverá tempo para detalhes mais tarde quando o aluno estiver preparado para lidar com eles. E a escolha da primeira linguagem de programação deve seguir esta lógica: ela deve ser econômica e simples em conceitos.

Interpretada e Interativa - Creio que em cursos introdutórios deve-se fugir de linguagens compiladas como C, Pacal ou Java. Estas impõem um fluxo de trabalho do tipo escreve, compila, executa e testa que demanda um tempo adicional desnecessário ao objetivo. Sem falar que o próprio ato de compilação não acrescenta nenhum valor ao aprendizado da programação. No lugar deve-se buscar as linguagens interpretadas/scripts que fujam deste fluxo e, entre estas, se possível, deve-se optar por linguagens que possibilite uma interação ainda mais direta por um console da linguagem permitindo um dialogo direto entre o aluno e o interpretador. Isto torna possível uma aula muito mais rica e dinâmica.

Este não é um pensamento isolado de minha parte e muito menos algo inovador. Representa realmente uma tendência adotada, inclusive, por grandes universidades. Por exemplo hoje mais de 100 instituições – como PUC-RIO, MIT e Yale – utilizam Lisp/Scheme em cursos introdutórios.

Segue uma citação do texto do Prof. Roberto Ierusalimschy sobre a disciplina ICC e a escolha da linguagem LISP/Scheme:
“Por isso, estamos adotando Lisp/Scheme neste curso (Lisp designa uma familia de linguagens, por não ter sofrido padronização. Scheme é um dialeto específico de Lisp). Scheme é uma linguagem baseada em poucos conceitos importantes, que enfatiza economia e simplicidade. Sua sintaxe é trivial, e o núcleo da linguagem é facilmente aprendido pelos alunos em menos de um mês. Com isso, o curso pode rapidamente passar para aspectos essenciais, ao invés de se perder em detalhes e idiossincrasias da linguagem. Com um mesmo tempo de aprendizado, um aluno usando Scheme constrói programas bem mais complexos que usando Pascal ou C.
E um pouco mais adiante:
“Não custa repetir que, mais importante que ensinar ao aluno uma linguagem específica, é capacitá-lo a aprender novas linguagens.”

Mas existem outras ótimas opções além do Lisp/Scheme. LUA e Python são exemplos de linguagens que atendem os requisitos acima. E, principalmente para crianças, temos o LOGO que é ainda uma boa opção para começar. Todas estas são linguagens interpretadas, evitando o ciclo altera-compila-testa, e econômicas em conceitos.

Para entender o que isto significa compare o código necessário para fazer aparecer a mensagem Hello World nas linguagens C, Java, Lua e Python. Repare que nas duas primeiras os alunos se depararão mais prematuramente com detalhes da linguagem enquanto nas duas seguintes, mais econômicas, o aluno pode de forma mais imediata, se ocupar com o aprendizado da disciplina de programação:

 #include <stdio.h> 
 int main()
 {
    printf("Hello, world!\n");
    return 0;
 }
 public class HelloWorld
 {
      public static void main(String[] args) 
      {
           System.out.println("Hello, world!");
      }
 }
  1. print("Hello, world!")
print("Hello, world!")

A escolha para este o blog

Quando falamos em um ambiente online os requisitos “Interpretada e Interativa” ganham novas implicações. Para uma aula presencial adotaria o Python. Porém para uma aula online, que pretende ser interativa, creio que a melhor opção seja o Javascript. Javascript é simples o suficiente e, com ele, é possível criar um ambiente online completamente interativo já que a linguagem é nativamente interpretada pela grande maioria dos navegadores. Veremos outras linguagens, porém será Javascript será a linguagem que norteará as postagens deste blog. Para entender como é que o Javascript pode tornar uma aula online de programação interativa, visite a postagem Davit: Uma ferramenta Javascript para aprender a programar do meu outro blog.

Imersão

Para uma aula presencial adotaria o Python. Porém para uma aula online, creio que a melhor opção seja o Javascript.

Digo, com segurança, que a melhor forma de aprender a programar é programando. Ao se aprender uma língua estrangeira, não se aprende primeiro toda a gramática para só depois se arriscar nas primeiras conversações. O professor já na primeira aula tenta falar o máximo possível já em inglês para forçar uma imersão. Somos todos convidados a ler/escutar os primeiros diálogos, repetir e só então vem as explicações gramaticais. É perfeitamente possível aprender a programação de maneira análoga.

Pela década de 80 surgiram várias as revistas e livros com códigos fontes de jogos e aplicativos nos mais diferentes dialetos Basics e davam dicas de como realizar suas próprias alterações. Uma ótima forma de aprender a programar era brincar com aqueles exemplos. Não era necessário aprender toda a base para só depois se aventurar naqueles programas. Aprendia-se muito com eles, alterando e modificando os mesmos.

Da mesma forma, neste blog, pretendo trazer com freqüência projetos de programas, dos mais diferentes níveis de dificuldades, onde o aluno poderá ler, entender, executar e será convidado a realizar suas próprias alterações no código. Creio que esta seja, se não a melhor, a forma mais divertida de se aprender a programar

Diversão

Programar é divertido. Principalmente quando aprendido de uma boa maneira. A maior parte das pessoas que hoje programam profissionalmente começou por hobby. E tudo que foi dito até agora nesta postagem contribui para que programar seja também uma diversão.

Quem conhece meu blog pessoal, o Blog do Renato, o Louro sabe que o assunto programação de jogos é um assunto recorrente nele. E esta é uma das melhores formas de trazer mais diversão à programação. E é o que eu quero trazer também para cá, só que de forma mais didática.

Formalização

Assim, nosso objetivo é oferecer insumos, instrução e conhecimento para quem deseja aprender a programar.

Retomando o exemplo da aula de língua estrangeira, depois de ler o diálogo, depois de repetir as frases, depois de tentar alterar o exemplo original e depois ainda de ‘ser forçado a uma imersão’ pelo professor de inglês, é preciso estudar realmente a gramática formalizando o que deve de fato ficar retido da lição. Analogamente, na aprendizagem de programação, a formalização é importante em algum momento, ou seja, é necessário explicitar o que realmente deve ou deveria ser aprendido naquela lição.

Existindo um programa que deve ser seguido, os objetivos de cada lição e suas conclusões deveriam ser explicitados. Para os que estudam por conta própria, buscando exemplos na internet e tirando dúvidas com conhecidos, é recomendável a leitura de um bom livro que possa formalizar e guiar o aprendizado. É uma maneira do aprendiz saber que nada importante tenha ficado de fora.

Conclusão

Para quem quer se aventurar a aprender programação sozinho, recomendo começar pelo Python. Existem boas apostilas espalhadas pela web. Mas também recomendo tenha ao seu lado uns bons livros. É uma maneira de garantir que nenhum aspecto importante da programação de computadores fique de fora.

Agora outra grande dica para quem deseja aprender os fundamentos desta ciência é: acompanhe este blog! :). Como o próprio nome do domínio diz: Este é um blog para quem quer aprender a programar. Assim, nosso objetivo é oferecer insumos, instrução e conhecimento para este fim.

Neste blog focaremos na linguagem Javascript que nos permitirá exemplos mais interativos e completamente online, facilitando o aprendizado utilizando pequenos projetos e exemplos. Mas também caminharemos por outras linguagens como Java, C e o próprio Python, ajudando os que querem começar por estas linguagens.

Então, abraços e até a próxima postagem.

You can leave a response, or trackback from your own site.

32 Responses to “Como Aprender a Programar?”

  1. ulysses disse:

    Cara, parabéns
    este artigo deve estar sendo muito útil para muitas pessoas.

  2. BiaFake disse:

    Eu recentemente assisti a um filme chamado Reboot e me interressei por programação. Achei bem legal a maneira como você explicou e vou prourar fazer as aulas do seu outro blog. Muito obrigada!

  3. Richar Soares disse:

    Parabéns meu amigo
    Sem sombras de duvidas é um belo conteúdo suas pastagens
    Continue assim que sempre estarei acompanhando obrigado novamente

  4. Fernando Andrade disse:

    Parabéns pelo post!!!

  5. Bernardo Colarinho disse:

    Quem poderia ajudar me neste trabalho?? por favor!

    Pretende se ajudar na gestão de cassestes num video clube durante um mês. A devolução deve ser feita no prazo maximo de 3 dias apois do levantamento de cassete de video ( se for antes, melhor ainda). No caso nao cumprimento com o prazo maximo estabelecido aplica-se a penalização, que e igual a 1% do preço da cassete em causa no caso de demorar mais do que 3 dias, 2% no caso de demorar mais do que 6 dias e 3% no caso de demorar mais do que 10 dias.

    O programa deve, atravês de um MENU simples e amigavel (incluido dicas claras:
    -Permitir introduzir os dados sobre o codigo de cassete (111-999), preço de cassete (100.00 – 999.00MT). data de levantamento e data de devolução;
    -Calcular a quantidade de dias que a cassete foi usada, determinar se é aplicada a penalização e determinar o valor arredondado de penalização;
    -Vizualizar os dados lidos e calculados na forma de tabela com cabeçalho de seguinte maneira (por exemplo):

    codogo de cassete-….
    preço-…
    data levantada-..
    data devolvida-..
    diferença-…
    penal-%
    valor de penalização em Mt-…

    -Calcular valor total de todas as penalizaçoes aplicadas;
    -Apresentar os dados sobre o programador (Nome, numero do estudante, endereço de e-mail, etc.);
    -Terminar e sair do programa.

    Todos os dados introduzidos do teclado tem que ser validados.

    NB: Ficheiro JAVA.

    O meu endereço é bernardocolarinho_ gmail _ com

  6. Daniel Bastos disse:

    Cara. Muito obrigado pelo post :) fiquei até mais animado para estudar programação… Vou começar pela logica de programação e depois provavelmente começar pela linguagem phyton… Enfim. Obrigado, e pretendo acompanhar mais a área de programação do blog.

  7. Thiago disse:

    Parabéns pelo artigo, muito útil!

  8. Vinícius disse:

    po kra vlw! estou em duvida entra o javascript e o phytom para iniciar, estou no 1periodo da faculdade de TSI, qual me recomendaria?

  9. anderson disse:

    muito bom . estava sem animo, agora vou nortear meu aprentizao .obrigato mesmo.

    anderson ramos.

  10. Lenfexs disse:

    Hoje,em dia programar acaba de se tornar uma atividade comum,ainda mais que o custo de hardware abaixara,uma boa prova disso é que podemos comprar nosso computador a partir de 800 R$ podemos,comprar um novinho,mas enquanto o custo dos softwares sofisticados tendem em aumentarem.

    Para minimizar o custo do desenvolvimento de softwares,foram criados diversas linguagens de programação que,prometem oferecerem recursos
    que aumentam a produtividade do desenvolvedor entre essas linguagens
    as que me chamaram atenção são:

    Python
    Ruby
    Lua

    Essas linguagens são interpretadas,podemos aprendê-las facilmente é o que dizem sobre elas,embora isto seja um pouco verdade,há mais ou menos uns meses eu tentei aprender Python mas devido ao seu número de versões,os materiais didáticos(apostilas pdf e pp) sobre a Python não explicavam certamente todos os detalhes sobre a linguagem,cada apostila que tinha falava,uma coisa diferente sobre a linguagem e quando testava seu código que estava escrito nas apostilas uns;davam certos e outros erravam,isto também deveu-se que eu,usava interpretadores de versões diferentes de Python,mas de qualquer forma sempre tinha algo nas apostilas que não estavam de acordo com as regras do Python mesmo,que estivesse usando a versão certa do interpretador.

    Ruby também,procurei por apostilas!!!! Resultado apenas encontrei,apostilas do tipo que falavam 2 linhas sobre o que é Ruby e mandava escrever um programa que fizesse tarefas absurdas!!! Um momento para a reflexão: Como é que um iniciante em programação em Ruby,poderia fazer um software com 100 linhas de código sem ter nunca programado em Ruby antes,e ter apenas lido 2 páginas sobre o que é Ruby!!!!!!!!!!

    Lua também tentei aprendera,mas só encontrei materiais péssimos,que tem uma abordagem pobre sobre a linguagem,no qual a maioria das vezes confundiam o leitor.

    *obs: Mesmo com os materiais de péssima qualidade sobre estas três linguagens,hoje eu sei praticamente como funciona cada uma delas,sei também se eu quiser aprendê-la, terei que gastar R$ com a compra de excelentes materiais(Livros,apostilas,videos aulas).

    C,comigo C foi muito diferente,foi com ele que aprendi a programar realmente,espero me tornar um profissional nele.O que muita gente não sabe é que tanto a linguagem C,C++ e o JAVA podem serem aprendidas,como primeiras linguagens de programação para aqueles que nunca programaram. Na internet tem inúmeros materiais didáticos sobre estas linguagens entre eles,existem atém livros(Livros são os melhores materiais,porque eles são passados por críticos até serem lançados) ,o bom de tudo isso é que a medida que formos aprendermos C,C++ ou JAVA poderemos aprender qualquer outra linguagem de programação.

    Então para aqueles que desejam aprenderem C,C++ ou Java,se estiverem atrás de excelentes materiais envie um e-mail para:

    mex.stell.com@gmail.com

  11. Lenfexs disse:

    Estudar,Pascal é viver nas trevas,ou linguagenzinha estranha,Pascal já foi uma boa para ensinar programação aos iniciantes,mas isso não quer dizer que Pascal não é difícil como dizem,devemos olhar pelo ponto de vista

    Já tentei estudar Pascal,mas só que,quando pegava um exemplo de programa de tal apostila e colocava em um compilador dava erro,Object Pascal não seria uma boa ideia pelo fato de existirem muitas versões para pouco conteúdo didático.

    Estou dizendo estas coisas não é para desincentivar as pessoas a aprenderem a programarem, estou apenas dizendo que não adianta você estudar tal linguagem só,apenas para saber como funciona variáveis, Constantes, Laços de seleção(if,if else,switch) e de repetição(do,while,for).

    Não caiam nessa ah! estude primeiro lógica de programação,pois esse é o seu paço para o atraso,existe poucos materiais sobre lógica de programação e além do mais eles não são de confiança .

    Nunca estudei lógica para aprender a programar,A minha 1ª experiência em programação comecei usando HTML,depois a deixei e fui aprender C,foi com a linguagem C que aprendi lógica sem precisar estudar um pseuda linguagem ou Pascal e muito menos Object Pascal.

    Para quem deseja aprender a programar de verdade,recomendo que estude uma linguagem de verdade,de preferência a C,ou C++.

    Diferenças entre C e Pascal:

    Elas tem algo em comum é que ambas são estruturadas,elas surgiram graças as pesquisas feitas nas década de 60,Pascal embora seja muito ensinada para meios acadêmicos,mas ele possui uma limitação,devido a esse problema ele se
    limita a fins didáticos,já o C é amplamente usada para o desenvolvimento de Games,SOs(SISTEMAS OPERACIONAIS) e etc.

    Pascal quando nossos programas possuírem acima de 500 mil linhas de código começa a dar problemas,

    já C ele é tão bom,que é possível fazer softwares com mais de 1milhão de linhas de código,o bom de usar C é que ele já vem com uma bateria de recursos ,diferente de pascal no qual as vezes temos que criar os nosso próprios recursos.

    Para quem deseja aprender a programar de verdade tenho excelentes livros e apostilas de C,C++ e Java bastam me enviarem um e-mail para:

    mex.stell.com@gmail.com que estarei lhe enviando apostilas e livros pela internet.

  12. marcondes disse:

    estou cursando o tecnico em eletronica e no começo de programaçao com o dev C++ o visual studio é melhor e tem versao fre se tiver onde encontro.
    porque todos os comentarios que leio todos acham pessima entender a linguagem de programaçao, como fazer para começar a entender como montar um programa, ja li varias apostila e nenhuma tras um tuturorial bem explicativo e facil de começar a entender.
    voce teria uma apostila ou manual que um iniciante teria facilidade de começar a compreder.

  13. marcondes disse:

    estou cursando o tecnico em eletronica e no começo de programaçao com o dev C++ o visual studio é melhor e tem versao fre se tiver onde encontro.
    porque todos os comentarios que leio todos acham pessima entender a linguagem de programaçao, como fazer para começar a entender como montar um programa, ja li varias apostila e nenhuma tras um tuturorial bem explicativo e facil de começar a entender.
    voce teria uma apostila ou manual que um iniciante teria facilidade de começar a compreder.
    Nao estou conseguindo entender essa materia

  14. Alder disse:

    Parabéns Renato pelo post. Já formado e sou apaixonado por informática e pretendo entrar nesse mundo fascinante da Programação. Estou estudando por conta própria, iniciei em Lógica de Programação com VisuALG e no início de 2013 começo o curso em Tencologia da Informação. Estava em dúvida em qual linguagem de programação começar, mas com seus relatos me deram um norte para meus primeiros passos. Continue assim à ajudar as pessoas compartilhando as informações de forma inteligente e com conteúdo maravilhoso como esse. Grande abraço!!!

  15. henrique disse:

    Tenho dezesseis anos, será que até 18 já aprendi Python ou é preciso mais tempo?
    Parabéns pelo site, o mundo precisa de pessoas assim como você.

    • Jhonny Freitas Dutra disse:

      Bem resolvi responder sua pergunta,
      Isoo depende muito de vc,python é uma lingugem simples mas bastante poderosa, não acho que vai levar mais do que algumas semanas para aprender o nucleo da linguagem. Se quiser se contactar comigo por e-mail fique a vontade

  16. Lauro disse:

    Nossa cara, belo post. Varri a internet pq cismei de aprender a programar e nada realmente falava o ABC, a metodologia que deveria ser empregada para o aprendizado. E tu aborda bem a questão. Vou “devorar” os conteúdos do seu site. Continue assim.

  17. Ivan disse:

    Valeu
    Isso sim e alavancar quem precisa da area.. estou em Belo Horizonte , se puder me indicar alguem pra me dar aulas particulares, ficarei grato.

    • renato disse:

      Olá Ivan,
      Sou do Estado do Rio/Niterói. Não tenho conhecidos em Belo Horizonte.
      Em todo o caso, além das próprias aulas gratuitas em http://www.aprenderprogramar.com.br/logica-programacao-davit/ onde eu costumo responder algumas dúvidas nos comentários, eu também penso iniciar uma turma, num curso online, para quem quiser se aprofundar e/ou estiver com dificuldades no curso gratuito
      Neste curso eu atuarei como tutor e acompanharei os alunos de maneira mais próxima do que como ocorre nos comentários do curso livre. E o conteúdo será mais aprofundado.

      Se interessa? Minha ideia é começar em janeiro. Não tenho o valor ainda mas, como será a primeira turma, será um valor ‘abaixo do mercado’.
      No inicio de Dezembro vou divulgar o conteúdo!

  18. Camila disse:

    Muito bom, você conseguiu me nortear um pouco moro em Salvador e vejo aqui a escassez de conseguir um local para ter aulas de programação, então decidi tentar sozinha mas cada hora que leio algum tuto fico desnorteada, esta semana comecei a ler sobre lógica de programação e realmente estava sem norte mas como orientado por vc começarei pelos mais básicos Java script e phyton.
    Muito obrigada.

  19. Sparc disse:

    Gostei muito da Postagem, e estou totalmente de acordo com vc! Acho que nas escolas e instituições o primeiro a se ensinar deveria ser linguagens que mostrasse para o aprendiz que não é um bixo de 7 cabeças programar, e que fornecesse uma base sólida para ele partir para linguagens mais complexas. Comecei a programar com C#, muitas variáveis, muitas classes, e ainda por cima a pessoa responsável pelo aprendizado dos alunos, não se importa se tem alguém que não entendeu, e se bobear, desenvolve 1 programa por aula. Muitos conceitos ainda nem vi, e nem sei se vou ver…

  20. Carolina disse:

    Muito bom o artigo!

    Eu tenho 15 anos e to planejando começar a aprender a programar, e queria ver se o que eu entendi está correto.

    Para começar a programar deve-se aprender Lógica de Programação antes ou juntamente com uma linguagem? E qual seria a linguagem melhor para se começar, entre Python, Lisp e Lua?

    E outra pergunta meio fora do assunto… deve-se aprender inglês antes? ‘-’

    Obrigada e parabéns pelo artigo!

    • Olá Carolina, me chamo Jhonny e decidi responder sua pergunta. Bom para se programar vc tem que aprender antes de tudo Logica de Programação, e vc vai precisar de uma linguagem para isto. Eu aconselho vc seguir este Blog, que ultiliza a linguagem JavaScript, mas se vc quiser estudar por conta eu aconselho Python.
      Python é uma linguagem bem legal e simples, tmb vc pode criar praticamente tudo em Python, desde aplicativos, até sites na web.Ao mesmo tempo que é uma linguagem simples ela é poderosa. Geralmente os cursos começam a te ensinar com uma linguagem “falsa” como portugol, mas vc pode começar direto em Python, que é uma linguagem bastante interativa. E caso queira fazer os projetos desse Blog( http://www.aprenderprogramar.com.br/projetos-para-programar/) eu estou pretendendo montar um grupo para criar este projeto, tanto em javaScript como em outras linguagens, inclusive o Python.

      • renato disse:

        Olá Carolina,
        O Jhonny respondeu bem.

        Programar significa utilizar a lógica de programação para se comunicar com os computadores. Podemos também entender que programar é a arte de se comunicar com os computadores. E não dá para separar uma coisa da outra.
        Eu aprendi programar, programando. E é claro que isso inclui pelo menos em parte, lógica de programação.
        Algumas didáticas tentam separa lógica de programação da programação em si. Nestas, você aprende primeiro a descrever textualmente algorítimos e/ou utiliza fluxogramas para só depois de um tempo, você realmente é levada a programar.

        Eu não faço isso e grandes universidades também não seguem tal metodologia. Várias grandes universidades ensinam já em suas matérias introdutórias uma linguagem de programação real para que, através dela o aluno já aprenda a sua lógica.

        Resumindo, concordo com o Jhonny quando diz “…antes de tudo Logica de Programação, e vc vai precisar de uma linguagem para isto.”. Ou seja, aprenderá lógica programando e utilizando uma linguagem real.

        Sobre as linguagens, estas 3 que você listou são ótimas para aprender como 1a linguagem. Acho que a grande vantagem do phyton está na comunidade e material escrito. Ou seja, existem mais pessoas para você tirar dúvidas e mais material introdutório para você aprender a programar.

        Neste blog estou montando este curso também introdutório:
        http://www.aprenderprogramar.com.br/logica-programacao-davit/
        Tente fazer essas aulas e ir tirando as dúvidas. É uma forma fácil de começar a programar imediatamente!

        Abraços

    • Tambem sobre o Inglês, não é necessário a principio, mas se pretende trabalhar na area futuramente vc vai precisar. o motivo é simples, vai chegar horas que irá aparecer novas lingugens de programação, e talvez muitas empresas irão precisar de pessoas que programem nesta linguagem. O que isto tem haver? Simples, se é uma lingugem nova, dificilmente vc irá encontrar material de aprendizado em português, e é nessas horas que o inglês vem a ser util. Mas isso é uma das coisas que vc tem que se preocupar menos. Talvez esteja com a duvida de que tem que se aprender inglês pelo fato de que as lingugens de programação sejam em inglês, quanto a isso não se preocupe, vc não precisará aprender inglês para progrmar, vc verá que é facil de lembrar os comandos da linguagem. O inglês somente vem a ser necessario no caso que citei, se vc quiser estar a frente no mercado de trabalho(não somente na area de TI) vc vai ter que estudar inglês.

      • renato disse:

        Também concordando com o Jonny, inglês não é necessário para programar e muito menos para se aprender a programar.
        Mas facilita a vida pois:
        1- Os comandos são em inglês logo, lendo o comando de uma linguagem você já intui o que ele faz; e
        2- A grande maioria do material publicado e de pesquisa está em inglês.

        Mas como motivação, posso dizer que eu aprendi a programar antes de aprender o inglês. Na verdade meu caminho foi inverso já que a programação me ajudou no inglês.

        ABraços

  21. Alexandre disse:

    Muito boa a iniciativa.
    Vou acompanhar todos os artigos.
    vlw abraço!

  22. [...] de computação gráfica. No site existe um post muito bem detalhado abordando esse mesmo tema: Como Aprender a Progamar? e mostrando como é legal e fácil [...]

  23. Flavio disse:

    Cara,gostei muito do artigo. Sem dúvida é muito útil para quem está começando ou para quem, como eu, ainda pretende começar. Parabéns!

    • renato disse:

      Olá Flávio, obrigado e fico feliz que tenha gostado da iniciativa. Espero que este blog possa realmente ajudar os que querem começar. Quanto a você fique antenado na categoria lógica de programação que é onde irei publicar as aulas com o Robô Davit! :-)

Leave a Reply

Powered by WordPress | Visit www.iFreeCellPhones.com for Free Cell Phones. | Thanks to Palm Pre Blog, Find Best CD Rates and Fat burning furnace